Equipe de Portugal CTMDT 2010 - Nossa Formatura

Nos últimos dias, tenho dito a mim mesmo que cheguei a um novo tempo em minha vida. Sabe aquele tempo de ficar comparando o presente com o passado, com medo de o futuro não ser tudo o que a gente sempre sonhou? Pois é, esse tempo acabou!

Sinto como se Deus me tirasse do deserto onde eu mesmo me meti, devido as minhas dúvidas, aos meus medos, fraquezas, e me levasse a um tempo de confiança na força e na proteção do “meu Pai”! Como Ele é o Grande Autor da história, Ele já sabia de tudo o que aconteceria e, mais uma vez, transformou, o que deveria ser maldição, em benção! É.. Deus é assim.. Perfeito!

Desde que terminei as aulas no CTMDT e voltei para meu “antigo habitat”, entrei em uma rotina de “receber para dar”. Vou explicar! Entrei em um processo de cobrança da parte das pessoas e de mim mesmo. Eu não conseguia mais ler minha Bíblia simplesmente pra ter um tempo com Deus, ouvindo Suas Palavras, orando, mas eu passei a ler a Bíblia pensando nas Ministrações de Louvor, Palavras e mais Palavras que teria de compartilhar com a Igreja! Isso foi me secando por dentro. Como um poço de onde só se tira água!

Outra coisa que me deixava mal era a cobrança de uma postura! Kra, eu só tenho 19 anos!
Eu não colocava mais pra fora as minhas tristezas, medos, inseguranças, defeitos, pensamentos, e isso começou a me aprisionar dentro de mim mesmo de forma que eu estava morrendo aqui dentro.

Eu tinha que mostrar o Douglas Ministro de Louvor, Missionário, Seminarista [aff.. naum gosto nem de lembrar os “Rótulos” que me dão!], e comecei a esquecer do Douglas Gente, que sofre, que tem defeitos, que precisa chorar, dizer “Não quero ir à Igreja hoje…”, do Douglas livre em Jesus! Claro, com responsabilidades, mas que, de vez em quando, também precisa estar diante de Deus simplesmente como um filho brincando no escritório do pai.

Parece que minha ficha caiu quando fiz má-criação com meu pai depois de ele ter feito algo que não gostei. Fiquei uma fera e o respondi como nunca mais havia feito desde que eu era uma criança. Fui pro quarto com raiva, chorei, dormi, acordei e percebi que não havia sentido ficar com raiva por algo tão bobo. Saí do quarto, comi alguma coisa e, assim que vi meu pai, o abracei e pedi perdão por tê-lo respondido. Ele sorriu e me perdoou.

Sabe o que percebi com isso? Que a beleza de ser humano não é nunca poder errar, mas sim, quando errar (pequenos tropeços durante a caminhada), ser humilde o suficiente pra pedir perdão – a Deus ou às pessoas. Deus nos fez assim – humanos [inconstantes e teimosos] – porque queria se relacionar conosco assim, do jeito que somos! Ele não quer mais um anjo, Ele quer a mim, com minhas fraquezas e defeitos pra que Ele possa me aperfeiçoar durante nossa caminhada de relacionamento e adoração! Isso é ser livre em Jesus! E eu não quero mais ser aprisionado por cadeias que eu mesmo construo ao redor de mim! Quero viver integralmente a liberdade que Jesus conquistou pra que eu vivesse!

Deixo com vocês esta canção de uma ex-professora minha que tocou muito em mim por dizer:

“Quando tudo acabar o que vai prevalecer é o Teu amor, o mais puro amor
Quando tudo acabar os Teus olhos vão me ver e vão me amar com o mais puro amor
Teus olhos me vêem quando as luzes se apagam, outras vozes se calam
E eu posso te ouvir dizer que o meu valor não está no que tenho ou faço
Em Teu abraço encontro o mais puro amor.”

Que Deus nos abençoe! Comente! Rsrsrs..

Anúncios