Ministrando na Igreja Metodista Wesleyana em Figueira - RJ

Vamos falar um pouco sobre Liderança de Louvor. Neste caso, não me refiro a ser líder de um ministério de Louvor & Adoração, mas ao ato de dirigir o momento de louvor de um culto.

Os ministérios de Louvor trabalham de diversas formas no que diz respeito a quem lidera o momento de Louvor. A grande maioria ainda trabalha com as famosas “Escalas”. São planilhas de organização onde os componentes do Ministério são distribuídos de acordo com sua disponibilidade para conduzirem (liderarem) o louvor em datas pré-estabelecidas.

Geralmente, esses ministérios lidam com algumas dificuldades como, por exemplo, a diversidade de estilos nas ministrações, afinal, ninguém é igual! Uma pessoa não conduz o louvor do mesmo jeito que a outra. Há igrejas onde, os membros têm acesso a escala do Ministério de Louvor, e muitas pessoas consultam-na para saber quem é o líder do dia, assim decidem se chegarão ao culto antes ou após período de Louvor. Inevitavelmente, a diversidade de ministros gera preferências.

Há outros ministérios onde há somente um líder de louvor e essa mesma pessoa conduz o momento de louvor em todos os cultos. Muitos acreditam ser esta a melhor forma, pois, com uma única pessoa a liderar, ela caminhará no mesmo ritmo que a Igreja, e a Igreja seguirá sua linha de ministrações. Se for uma mesma pessoa a conduzir o louvor, o ministério corre menos o risco da repetição de temas em ministrações.

Claro que, em ambas as formas de liderança, o Espírito Santo deve ter liberdade para fazer o que Ele quiser, e isso inclui a repetição de ministrações. Mas, vamos combinar, a Palavra de Deus sempre tem algo novo para nós.

Se o ministério de Louvor estivesse caminhando em um plano de leitura bíblica, todos recebendo a mesma ministração em reuniões internas do ministério, caminhariam em uma mesma linha de ministrações, pois falariam a respeito do que têm ouvido/recebido nessas reuniões. Porém, devido a indisponibildade, muitos ministérios não têm conseguido se reunir sequer para ensaios – o que é alarmante.

O que importa é que, quem lidera o louvor saiba perceber o que a Igreja precisa receber no dia. Estar em comunhão com Deus é o primordial para isto. Para tal, nós, líderes de louvor e adoração na igreja, precisamos lembrar de algo que ouvi a Pra. Ludmila dizer há alguns anos, mas que até hoje penetra em meu coração: “O segredo da Adoração é a Adoração em Segredo”.

Se o coração do líder de Louvor estiver tão distante de Deus quanto o Sol está da Lua, não devemos pensar que, na hora da ministração, a comunhão com Deus seria restabelecida. Deus quer um culto sincero, e não há maior culto do que assumir que pecamos e precisamos voltar a ter comunhão com Ele. Contudo, o Líder de Louvor também é um ser humano com defeitos e fraquezas. Então, se estiver passando por um deserto, converse com sua liderança. Não deixe o orgulho impedir seu culto a Deus.

A comunhão com Deus  em nosso secreto é o primero passo para fazer a diferença na Liderança de Louvor. Só assim, fluirão Rios de águas vivas de nosso interior para abençoar muitas vidas. Lembre-se: Somos apenas os canais por onde as águas passam, mas os canais precisam estar limpos.

=) Douglas

Anúncios