Desde que me formei no CTMDT em 2009, tenho recebido muitos convites para Ministrar Louvor, Palavra e também Oficinas de Composição e Liderança de Louvor. Meu tempo de convivência em uma das Bandas do CTM me fez crescer bastante e, hoje, posso compartilhar com as pessoas muito do que aprendi. Também tenho me dedicado a uma incessante pesquisa na área do Louvor e Adoração, servindo como uma forma de reciclagem para poder continuar abençoando vidas que presam pela excelência no Ministério de Louvor, assim como eu.

Hoje, quero compartilhar com vocês algo sobre este assunto. Uma grande dificuldade que percebo existir em todos os ministérios de Louvor para os quais ministrei as Oficinas foi que Músicos (Instrumentistas) e Vocais parecem caminhar em dois ministérios alheios. Não há entrosamento em ambas as partes. Por exemplo: Na maioria das Oficinas em que precisamos de alguém que pudesse ajudar tocando um instrumento, a exclamação que se ouvia em massa era que não havia nenhum instrumentista no local. Quando havia, era a parte menos atenta da plateia, que parecia não estar realmente interessada no que estava sendo ensinado.

Minha pergunta é: “Será que os músicos (instrumentistas) dos ministérios de louvor têm se sentido excluídos do mesmo? Ou será que não sentem a necessidade de preparar-se espiritualmente?” Vemos a ausência dos mesmos em cultos com menor frequência por parte da Igreja, além de consagrações matinais, Escolas Dominicais. Muitas vezes me senti como se estivesse implorando pra que um músico fosse a um ensaio, ou que ouvisse o material de ensaio em casa.

Infelizmente esta é uma realidade que precisa ser mudada para que haja o real crescimento do ministério, um crescimento saudável que faça com que todos consigam caminhar em unidade, pois, assim como “quando um não quer dois não brigam”, quando um não quer, dois não conseguem viver em comunhão, em unidade.

Se você é um músico e tem vivido esta realidade na sua Igreja, quero convidá-lo a mudar sua forma de agir. Aproveitar que estamos prestes a iniciar mais um ano e começar a ser alguém mais presente em ensaios e reuniões menos frequentes, chegando no horário marcado, quem sabe até antes, para afinar seu instrumento, preparar o que precisa ser feito e, assim ter um ensaio proveitoso. Se você não tem conseguido viver uma vida de consagração, comece a frequentar os ambientes que o ajudarão a quebrar, de uma vez, essas barreiras. Passe a respeitar as pessoas e a submeter-se a liderança, mesmo quando pedem para abaixar o volume do instrumento além do que você considera o necessário.

Se você também é um músico, mas não tem esse perfil, peço desculpas por generalizar alguns comentários acima, mas julguei ser necessário para que fosse feita uma auto-avaliação. Continue servindo no ministério, com sua busca por excelência e por fazer o melhor para o Senhor, consagre-se mesmo! Chegue no horário mesmo! Mesmo que você seja o único e pareça não valer a pena, persevere e, no tempo certo, quando você menos esperar, o Senhor honrará sua dedicação a Ele.

Espero ter cooperado para seu crescimento. Se você conhece algum músico (tanto os “perfeitinhos” quanto os “complicados” dos ministérios), envie este texto! Quem sabe, é o ponta-pé inicial para que uma mudança aconteça.

Que Deus nos abençoe!

Pela Graça de Cristo,

Douglas =)

Anúncios