Estou chegando agora de uma reunião de oração dos jovens da minha Igreja local, e só tenho uma coisa a dizer: “Não há melhor lugar para estar do que na presença de Deus, junto com outras pessoas que o amam!”.

Desde meu último post, passei por um processo doloroso em minha vida pessoal. Prefiro não contar aqui o que aconteceu por envolver outras pessoas, mas isso mexeu tanto com meu emocional, que passei mal durante toda a quinta-feira! Uma amiga que me viu, disse que soube, na hora, que meu problema era emocional e estava se refletindo na minha saúde.

Foi nesse contexto de guerra espiritual extrema que fiquei diante de uma escolha: perdoar ou me vingar?

Quem me conhece sabe que não sou alguém vingativo. Posso dizer que sou uma pessoa muito pacífica e que paga para não entrar em uma briga. Mas, apesar de não querer vingança, minha reação imediata foi de querer cortar relações com quem me feriu, levar o caso a alguém que fizesse justiça por mim. Não queria estar ao lado de pessoas a quem não poderia falar o que penso, por ter a sensação de insegurança na presença delas.

Foi aí que contei para meus pais, minha irmã mais velha (Mary) e meu cunhado (David) o que aconteceu comigo. Eles me deram seu apoio e começaram a me lembrar de coisas que Deus já havia proferido a meu respeito e que eu mesmo havia esquecido. Minha irmã foi completamente cheia do Espírito Santo e começou a falar coisas que encheram meu coração de vida e trouxeram, quase instantaneamente, minha saúde de volta.

Entre tudo o que ela falou, lembro de algo que foi o marco para os passos que dei dali em diante. Ela disse que eu não estou aqui para os sãos, mas para esses que precisam de mudança, é para aqueles que eu considero indignos da minha amizade que eu estou aqui, demonstrando amor e perdão, apesar de considerar que eles não mereçam, e conhecendo suas imperfeições escolher amá-los como meus irmãos. Ela me instruiu a escolher perdoar.

Na hora foi tão difícil pensar em perdoar alguém que havia me ferido o coração, voltar a conviver com alguém em quem eu não sabia se poderia confiar. Mas quando procurei uma música para ouvir no meu PC, vi o Vídeo da canção “O Perdão” (da Pra. Ludmila com a Ana Nóbrega –  que já foi tema de um Post aqui do Blog) e percebi que me bastava escolher perdoar, e Deus faria o resto.

Foi isso o que Deus fez! Quando pensei em não falar mais com quem me feriu, entrei em contato com a pessoa, como faria antigamente. Quando vi a pessoa na rua, falei como falaria antigamente. O que ela fez não me importa. Importa agora é que cada ato de perdão soa para Deus como som de adoração pura e sincera, sobe com um cheiro suave de alguém que toma parte da Cruz de Cristo e mata seu desejo de vingança, rendendo-se a vontade do Pai.

Só o Senhor é quem pode fazer isso. Eu não sou melhor do que você que está lendo este Post. Não sou mais amado por Deus, nem mais santo do que você. O que quero dizer com isso é que se eu consegui, você também consegue! “Se você tem algo pra terminar, vai! Seja você no canal do perdão e vai! Com humildade se alcança a aliança de amor”.

Foi o perdão de Jesus por mim que me fez uma nova criatura. Se ele me perdoou, eu também posso perdoar. Estou curado, pois a raiz da amargura foi arrancada do meu coração. Escolha perdoar e deixe Deus te surpreender com aquilo que só Ele pode fazer.

Que Deus nos abençoe a cada dia!

Coberto pela Graça,
Douglas =)

Anúncios